Stopover: saiba como aproveitar a passagem para conhecer mais lugares

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - 23 de abril de 2018

Conhecer outras cidades e até países pagando apenas uma passagem aérea é possível com o stopover, uma tática excelente para economizar e tornar a sua viagem ainda mais bacana. Porém, como essa possibilidade não costuma ser muito divulgada pelas companhias aéreas, nem todo mundo sabe como ela funciona.

É o seu caso? Continue lendo o post de hoje e saiba tudo sobre o assunto!

O que é o stopover e como ele funciona?

Embora o termo possa não ser muito conhecido, ele é uma ótima oportunidade de conhecer mais lugares. O stopover significa a possibilidade de ficar alguns dias na cidade escala, com a sua bagagem, podendo reembarcar para o seu destino final, sem custo extra.

Em viagens muito longas, a prática já é oferecida pelas companhias aéreas como um benefício. Afinal, além de poder conhecer mais um lugar diferente durante a viagem, você ainda evitará problemas como jet lag e o cansaço excessivo por passar horas dentro de um avião.

Embora o stopover seja uma oportunidade super bacana, é imprescindível conferir antecipadamente se a companhia oferece essa possibilidade e como ela funciona – já que pode variar de empresa para empresa. Contudo, existem algumas regras gerais sobre como a cidade do stopover obrigatoriamente deverá fazer parte do destino final, ou seja, fazer sentido geograficamente, considerando a rota do avião. Também, a escolha e a reserva devem ser feitas com bastante antecedência, sendo que essa parada intermediária poderá ser, tanto na ida quanto na volta.

Além disso, o stopover apenas acontece em voos com conexão (quando existe a troca de aeronave) ou escala (uma parada na qual os viajantes permanecem dentro do avião), sejam eles voos domésticos ou voos internacionais. Vale lembrar ainda que, embora muitas companhias ofereçam o stopover sem custos, ele poderá ser cobrado dependendo da empresa ou se você fez a compra da passagem por sites de vendas.

Por que investir no stopover?

Ainda não tem certeza se essa parada programada é uma boa ideia para o seu caso? Veja algumas vantagens interessantes que a modalidade oferece:

  • em alguns voos, é possível economizar fazendo o stopover e escolhendo conexões que sejam mais baratas;
  • muitas companhias aceitam milhas;
  • você tem a possibilidade de conhecer outra cidade ou outro país fora do seu roteiro (e sem custos adicionais com a passagem ou ainda pagando uma taxa mais baixa do que ter de comprar uma nova passagem aérea);
  • em voos longos, é possível usar esse período para descansar e começar a se acostumar com o fuso horário;
  • algumas companhias permitem um stopover mais longo, dando tempo para você aproveitar outras cidades que não estavam planejadas no seu destino final, tornando a sua viagem ainda mais interessante.

Desvantagem

Como tudo na vida, o stopover também apresenta um lado negativo que é o tempo investido para encontrar a passagem ideal. Isso porque nem sempre as companhias divulgam essa possibilidade e você terá de “garimpar” um pouco nos sites de venda para conseguir um bom destino e por um valor que seja atrativo.

Como comprar passagens com stopover?

Como dissemos, o stopover é algo que depende muito da companhia aérea, do trecho e de outras variáveis. Por isso, é sempre importante conferir antecipadamente, ligando para o call center da empresa.

Assim, você poderá saber se a passagem que deseja comprar oferece o stopover e se é cobrada alguma taxa adicional. Para quem compra passagens em sites de busca, é possível fazer a pesquisa por companhias e trajetos que oferecem o stopover.

Uma dica interessante é que muitas empresas realizam essa parada na cidade sede da companhia. Por exemplo, a Air France costuma oferece stopover em Paris; a TAP, em Lisboa; a Emirates, em Dubai.

Seja flexível

Durante a sua pesquisa, você também poderá conferir quais são os voos com escalas e conexões e, em seguida, entrar em contato com a companhia para saber se ela oferece a possibilidade de stopover. Vale a pena também tentar ser mais flexível com a data de partida e chegada, aumentando as suas chances de encontrar uma boa opção de rota. Afinal, as escalas variam muito de acordo com a data.

Use a opção “múltiplos destinos”

Para quem usa sites de vendas, opte pela opção “múltiplos destinos”, incluindo os trechos “extras” e analisando a diferença tarifária. Para quem não é muito familiarizado com esses sites, é melhor entrar em contato diretamente com a companhia aérea ou ainda buscar uma agência de turismo, garantindo que o seu stopover acontecerá sem problemas.

Outro detalhe importante é que as companhias podem permitir stopover  apenas nos voos de ida e volta. Além disso, algumas empresas ainda podem ter outras exigências, como a viagem não ser do tipo open-jaw, ou seja, a volta deverá ser para a mesma cidade de origem.

Passo a passo

Pelo site da Air France e da KLM (duas companhias europeias conhecidas por realizarem stopover), você poderá comprar sua passagem seguindo os passos abaixo:

  • selecione a opção “múltiplos destinos” na página inicial da companhia;
  • adicione o destino que você prefere;
  • selecione o destino de volta, incluindo as paradas grátis, e clique para “pesquisar”, verificando as tarifas e os horários disponíveis;
  • selecione os voos desejados com as datas para cada parada;
  • somente após selecionar o primeiro voo, selecione o segundo, e então clique em “continuar”;
  • quando tiver selecionado todos os trajetos, siga com o procedimento normal para finalizar a compra da passagem.

Quais companhias aéreas realizam o stopover?

Como dissemos, o mais recomendado é sempre pesquisar e entrar em contato com a companhia diretamente para saber se ela realiza essa parada programada e também se ele está disponível no voo que você deseja. Apesar disso, existem algumas companhias que são conhecidas por promoverem essa possibilidade como:

  • TAP: em voos com destino aos países europeus é possível fazer uma parada em Lisboa ou na cidade do Porto de até 5 noites. A companhia ainda oferece a possibilidade do viajante optar por um hotel durante a programação do stopover com preços mais atrativos, tudo pelo site da companhia;
  • Air France: em voos com destino a Europa é possível fazer uma parada gratuita de mais de 24 horas em Paris;
  • KLM: em voos com destino aos países europeus, você poderá fazer uma parada gratuita em Amsterdã;
  • Air Canada: permite duas paradas (uma na ida e outra na volta) em Toronto, mas costuma cobrar uma taxa de 100 dólares;
  • American Airlines: oferece stopover gratuito em Los Angeles, Dallas, Nova York e Miami;
  • Avianca: oferece stopover em Bogotá;
  • Emirates Airlines: oferece stopover em Dubai;
  • Ibéria: permite a parada em Madri;
  • Turkish Airlines: oferece stopover em Istambul;
  • Qtar Airlines: permite uma parada em Doha;
  • Malaysia Airlines: oferece stopover em Kuala Lumpur;
  • Lufthansa: oferece paradas na ida ou na volta em Frankfurt ou Munique, sendo que o valor varia da tarifa, com taxas a partir de 75 dólares.

Dicas para um stopover bem sucedido

Para que você não tenha dor de cabeça e o stopover realmente venha a agregar na sua viagem, nós separamos algumas dicas importantes. Confira:

  • sempre opte pelo stopover no momento de compra da passagem. Após a emissão do bilhete, qualquer alteração poderá ter custos extras;
  • se você não tem muita experiência em sites de venda, sempre ligue para a companhia antes de comprar a passagem e peça orientações sobre como fazer isso;
  • algumas companhias cobram pelo stopover. Por isso, compare as opções de múltiplos destinos e veja os preços com e sem parada para saber se a possibilidade é realmente vantajosa;
  • mesmo que a companhia não cobre para você descer em uma cidade, ela poderá cobrar as taxas de embarque;
  • em geral, o tempo máximo de permanência na cidade do stopover é em torno de 30 dias, mas isso pode variar dependendo da empresa;
  • se o país no qual você fará o stopover exige visto, é preciso providenciá-lo antes da viagem;
  • para quem vai usar sites de compra, a dica é primeiro anotar o número dos voos com preços mais atrativos na opção ida e volta, e somente depois pesquisar por múltiplos destinos, afinal, nem sempre as plataformas redirecionam para os voos mais baratos nessa categoria;
  • lembre-se que o tempo de conexão não é importante em um stopover, por isso, dê preferência aqueles com tempo maior (que costumam ser mais baratos);
  • verifique com a companhia como proceder em relação às bagagens, já que normalmente elas são retiradas e despachadas novamente (como se fosse um novo embarque);
  • se você quiser usar o destino do stopover para fazer compras, fique de olho para as regras alfandegárias. O melhor é sempre deixar as compras para o último trecho do retorno, evitando que seus bens sejam confiscados ou taxados durante a viagem;
  • cuidado com o que você planeja, porque se abandonar a conexão ao longo do trajeto, o restante do bilhete também será cancelado e você poderá ter bastante prejuízo;
  • infelizmente não é possível fazer stopover em voos dentro do Brasil, somente conexões maiores (com mais de 4 horas), quando o sistema permitir. Porém, Gol, Azul e Latam oferecem opções de vários trechos e cidades, montando roteiros com opções semelhantes ao stopover;
  • em outros países, é possível fazer stopover em voos domésticos, como dentro do México, da Europa, da Ásia, da Oceania e dos Estados Unidos.

Como você viu, o stopover pode ser uma possibilidade bem interessante de prolongar a sua viagem, conhecer outros destinos e ainda economizar (muitas vezes, fazendo essa parada de forma gratuita). Pretende usar o stopover nas suas próximas viagens? Aproveite e curta a nossa página no Facebook e nosso perfil no Instagram para receber mais dicas bacanas como esta!