Tudo que você precisa saber ao viajar com bebê de avião

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - 16 de dezembro de 2019

Vai viajar com bebê de avião e tem dúvidas sobre o que levar, quais documentos apresentar e o que é permitido durante a viagem? Não se preocupe! Viajar com criança não é tão complicado quanto a maioria pensa.

Para tirar suas principais dúvidas sobre como organizar uma viagem com seu pequeno, separamos algumas informações importantes e dicas úteis para você viajar com bebê e ter uma viagem agradável.

A partir de quantos meses um bebê pode viajar de avião?

A resposta a essa pergunta varia conforme as regras de cada companhia aérea.

Algumas empresas aéreas autorizam passageiros a viajar com bebê com menos de 2 meses de idade, mas isso não é recomendável pelo fato de o avião ser um ambiente fechado e o bebê ainda não ter imunidade suficiente ou não estar com todas as vacinas em dia.

Segundo pediatras, a idade recomendada para o bebê viajar de avião é de, no mínimo, 7 dias, com todas as vacinas em dia. No entanto, em viagens de avião que durem mais de uma hora, é melhor esperar o bebê completar 3 meses.

Antes dos 3 meses, o bebê passa mais tempo dormindo, mas pode chorar ao sentir fome ou cólica, por exemplo, o que acaba incomodando os passageiros.

Os bebês pagam passagem aérea?

Muitas companhias aéreas transportam bebês de até 1 ano e 11 meses sem cobrar passagem aérea em voos nacionais e internacionais.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), em caso de cobrança, o valor não pode ser superior a 10% da tarifa paga pelo adulto, além de taxas de embarque, desde que o bebê não ocupe um assento. Em se tratando de voos internacionais, o bebê pode ter direito a uma franquia de bagagem de até 10 kg.

Além disso, só é autorizado um bebê de colo por passageiro pagante. Ao viajar com gêmeos, por exemplo, dois adultos pagantes devem acompanhá-los.

Documentos necessários para viajar com bebê de avião

Em viagens nacionais e para toda a América do Sul, como Argentina, Chile, Paraguai e Uruguai (exceto Guiana e Suriname), os pais ou responsáveis precisam apresentar certidão de nascimento ou carteira de identidade do bebê (todos originais).

Se a viagem é internacional, o passaporte do bebê deve ser apresentado no check-in, mas como o novo passaporte (azul) não mostra a filiação do titular, é recomendado levar a certidão de nascimento ou carteira de identidade do bebê para comprovar filiação ou parentesco com os responsáveis.

Ao viajar com bebê, é recomendado levar também o cartão de vacinação da criança, pois podem ocorrer intercorrências durante a viagem e ser necessário verificar as vacinas que ela já tomou. Ou se a criança ficar doente no destino da viagem e um médico precisar verificar o cartão.

Um bebê pode viajar para fora do país acompanhado só da mãe ou só do pai?

Sim. Para isso, a mãe ou o pai devem apresentar uma autorização por escrito, com firma reconhecida, da pessoa que não fará a viagem. Por exemplo, a mãe apresenta uma procuração do pai autorizando-a a viajar com o bebê. Dependendo do país para onde vão viajar, pode ser exigido apresentar um visto de permanência da criança.

Essa autorização não é necessária para os menores de 16 anos que estiverem viajando acompanhados de parente até o terceiro grau maior de 18 anos.

Embarque em viagem com bebê

Pessoas que vão viajar com bebê são passageiros preferenciais no check-in, nos assentos diferenciados (é necessário avisar que vai viajar com bebê ao reservar o assento) e no embarque em qualquer parte do mundo.

Como alimentar o bebê no avião

Ao viajar com bebê é autorizado levar na bagagem de mão mamadeira, papinhas e leite, mas apenas a quantidade suficiente para ser usada durante o voo. Segundo as normas da Anac, os alimentos têm que ser apresentados no momento em que o passageiro passar pelo raio-X da bagagem de mão.

É comum que a tripulação aqueça a papinha ou mamadeira do bebê. Nesse caso, faça o pedido antes do serviço de bordo, para não atrapalhar o atendimento dos comissários aos outros passageiros.

Algumas companhias aéreas oferecem, por exemplo, refeições especiais, como papinhas, em voos com mais de uma hora e meia de duração. A solicitação deve ser feita até 48 horas antes do voo através do SAC da companhia.

Se o bebê estiver mamando no peito, você pode amamentá-lo sem problemas. A amamentação ajuda a acalmá-lo, caso o bebê esteja desconfortável ou sentindo dor de ouvido por causa da pressão da cabine.

Como fazer a troca de fraldas no avião

Alguns aviões têm fraldários, mas é melhor se prevenir e trocar o bebê no fraldário no banheiro do aeroporto, antes do embarque. Se precisar fazer isso na aeronave, converse com um comissário de bordo e pergunte se há um lugar onde você possa trocar a fralda do bebê.

Posso levar remédios na bagagem de mão?

Sim. Assim como os alimentos, eles têm que ser transportados na quantidade exata que será usada durante o voo, incluindo as escalas, e ser apresentados ao passar pelo raio-X. Quantidades maiores do que serão usadas durante o voo devem ser levadas na bagagem despachada.

Em voos internacionais, é obrigatório apresentar o receituário do médico. Se você esquecer o documento, a medicação será descartada.

O que levar em bagagem de mão ao viajar com bebê

A franquia de bagagem não aumenta por causa dos acessórios do bebê, ou seja, é de até 23 kg, incluindo bagagem especial, como carrinhos.

Sugestões de o que levar na bagagem:

  • Papinha, caso a companhia aérea não sirva;
  • 1 ou 2 mamadeiras vazias (para colocar os líquidos servidos no avião, como suco ou água);
  • Leite (caso não esteja amamentando no peito);
  • Fraldas;
  • Chupeta;
  • Lenços umedecidos, chumaços de algodão ou toalha para umedecer com água para a higiene do bebê;
  • Pano de boca;
  • Travesseiro;
  • Blusa de frio ou cobertinha (para proteger do ar-condicionado);
  • Medicamentos;
  • Brinquedos que não façam barulho e não façam sujeira, como gelecas e massinhas de modelar;
  • Duas trocas de roupa.

Dicas de entretenimento para viajar com bebê

Manter as crianças distraídas deixa a viagem mais confortável para elas, os pais e os outros passageiros. Então que tal baixar novos joguinhos para smartphone e tablet ao viajar com bebê? É legal também variar com jogos de mesa e livros, por exemplo, para que eles não fiquem a viagem inteira olhando apenas para uma tela.

Ao viajar com bebê de apenas alguns meses de idade, o interessante é levar bichos de pelúcia ou mordedor para distraí-los.

A partir de qual idade a criança pode viajar sozinha?

A idade em que uma criança pode viajar sozinha, aos cuidados dos funcionários da companhia aérea, varia de acordo com a mesma, podendo ser a partir de 4 ou 5 anos.

Antes de comprar a passagem para seu filho, entre em contato com a companhia e se informe sobre a idade mínima praticada pela mesma. Se ele estiver autorizado a viajar desacompanhado, informe à companhia que a criança viajará acompanhada por um dos funcionários do voo.

Para reservar o serviço, tenha em mãos o passaporte ou carteira de identidade da criança. Uma taxa de acompanhamento é cobrada pela empresa por trecho e por criança.

Um funcionário do voo será designado especialmente para cuidar da criança o tempo que for necessário, desde o check-in até o momento de entregá-la para a pessoa indicada para recebê-la. Em caso de voo com escala, as crianças aguardam o outro voo em uma sala especial do aeroporto de transferência. Lá elas têm acesso a programas de TV, brinquedos, jogos de tabuleiro e música.

Autorização para Menor

Para a criança viajar sem os pais ou responsáveis, eles devem preencher uma autorização para menor viajar. O documento deve ser preenchido digitalmente, impresso e assinado, com firma reconhecida em cartório.

Na autorização, os pais ou responsáveis declaram que a criança será transportada pelas companhias aéreas e designam uma pessoa para recolher a criança no aeroporto de destino.

Outra alternativa, a mais recomendada, é que os pais ou responsáveis solicitem que a autorização de viagem seja impressa em novo passaporte quando solicitarem a emissão do documento. Dentro do período de validade da autorização, o menor pode fazer várias viagens sem a necessidade de uma nova autorização a cada uma delas.

Lembre-se que essa autorização não pode ser solicitada para passaportes já expedidos, apenas de novos passaportes do menor.

Mais dicas para viajar com bebê de avião

– Se vai viajar com crianças de até 5 anos, o melhor horário para viajar é à noite, quando eles costumam dormir.

– Troque a fralda do bebê assim que você perceber que ela está suja. A demora na higiene dele pode causar desconforto e assaduras.

– Escolha voos diretos para viajar com bebê.

– Se seu voo tiver escala, escolha um voo à noite ou um cujo tempo de espera não seja muito demorado.

– Verifique a segurança do bebê e se o bebê conforto ou a cadeirinha do carro está posicionado da maneira correta e se cumpre todas as normas de segurança para viajar com bebê.

– Leve tudo que o bebê precisa para se distrair e ficar tranquilo, como brinquedos, jogos, fraldas e chupetas.

– Não dê comidas muito gordurosas ou pesadas para as crianças.

– Ao viajar com bebê, imprevistos podem acontecem. Por isso, leve uma muda de roupa extra, caso seja preciso trocar.

– Veja se é possível que as crianças assistam a desenhos animados ou joguem jogos eletrônicos em um DVD portátil.

– Se seu filho tem menos de 9 meses, evite viajar com ele para estados brasileiros que exigem que os turistas tomem vacina contra a febre amarela. Isso porque a vacina é ministrada aos 9 meses de idade e é repetida 10 anos depois. Os pediatras não recomendam que a vacina seja antecipada.

De acordo com o Ministério da Saúde, a vacina contra a febre amarela deve ser dada às pessoas que viajam para os seguintes estados brasileiros considerados endêmicos:

Amapá, Tocantins, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Acre, Roraima, Amazonas, Pará, Goiás e Distrito Federal. Estados da área de transição: Bahia, Minas Gerais, Piauí, Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul e Santa Catarina; e alguns municípios considerados de risco potencial da Bahia, Espírito Santo e Minas Gerais.

– Pode acontecer de a movimentação da aeronave causar náuseas, vertigens e até vômito nas crianças. Antes de viajar com bebê, consulte um pediatra que recomendará o que é melhor para seu filho. É comum que os menores de 2 anos sofram de dor de ouvido. Para evitar que os ouvidos tencionem muito e amenizar a dor, médicos recomendam dar líquidos aos pequenos enquanto o avião está sob pressurização.

– Se você está viajando com outro maior de idade e o bebê, reserve assentos em filas diferentes. Se o assento ao lado de um de vocês dois não for ocupado, o bebê pode ser acomodado na poltrona e viajar com mais conforto.

– Algumas companhias aéreas disponibilizam, mediante pagamento de um valor extra (o preço de um novo assento), uma cadeirinha especial para crianças de até 2 anos que pode ser usada a bordo das aeronaves. Em voos nacionais, o acessório deve ser solicitado, no mínimo, 48 horas antes; e em internacionais, 72 horas.

– É permitido levar sua própria cadeirinha ao viajar com bebê, desde que ela tenha um selo que a identifique como apta para ser usada em aeronaves e o bebê tenha um assento comprado. Nesse caso, é cobrado o preço de um novo assento com desconto.

– Confirme com a companhia se você tem direito a despachar gratuitamente um carrinho de bebê, uma cadeirinha ou um bebê conforto como franquia extra, ao viajar com bebê de até 1 ano e 11 meses.

Com organização e seguindo as dicas acima da forma correta, viajar com bebê de avião se torna uma tarefa tranquila.

Quer receber mais dicas de viagem como essa? Assine nossa newsletter e fique sempre atualizado com nossas publicações!