Como é a vida de um comissário de bordo? Descubra aqui

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - 18 de fevereiro de 2019

É comum ver um comissário de bordo e pensar que as atividades dele se resumem a recepcionar e atender os passageiros durante um voo, mas saiba que o trabalho desse profissional vai muito além do que vemos.

Neste post vamos te mostrar algumas curiosidades sobre essa profissão, o que é necessário para se tornar um comissário, como é a rotina de trabalho e o que eles fazem antes e durante o voo. Vamos lá!

Curso de preparação de comissário de bordo

Antes de começar o curso, o candidato precisa comprovar que está apto para os treinamentos exigidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Isso será comprovado através de exames médicos que devem ser realizados no Hospital da Aeronáutica (HASP).

comissário de bordoPara atuar como comissário de bordo é necessário ter uma autorização.  Para receber essa autorização é preciso fazer um curso em uma escola homologada pela ANAC. A duração do curso é de aproximadamente de quatro a cinco meses, com um mínimo de 138 horas-aula.

No curso, o candidato terá aulas práticas e teóricas que apresentam o que é necessário para exercer a profissão de comissário de bordo. Os candidatos terão aulas de temas variados como legislação da profissão e da aviação brasileira, meteorologia, medicina aeroespacial, primeiros socorros, evacuação da aeronave, conhecimentos básicos de navegação aérea e aeronave e noções de sobrevivência no mar, na selva e como combater o fogo. Algumas escolas vão além e também oferecem aulas que não são exigidas pela ANAC como atendimento ao público e etiqueta.

Algumas companhias não exigem que o candidato fale um segundo idioma, mas certamente é um diferencial.

Exame da ANAC e como ingressar em companhias aéreas

Ao terminar o curso, é necessário comprovar domínio nos temas exigidos realizando o exame da ANAC. Aqueles que são aprovados estão autorizados a se candidatar a oportunidades de emprego nas companhias aéreas.

Durante o processo de admissão em uma companhia, em geral, o candidato passa por uma entrevista presencial e avaliação médica e psicológica. Ao ser contratado, a ANAC exige que o candidato passe por um curso de 27 horas-aula dentro de um simulador ou uma aeronave da companhia. Nessa etapa, o candidato obtém instruções teóricas e práticas sobre as aeronaves usadas. Depois disso, o candidato faz um estágio em horas de voo (15) e, por último, faz um novo exame prático aplicado pela empresa.

Depois de passar por todos os exames, o comissário recebe uma licença e a CHT (Carteira de Habilitação Técnica) para exercer a profissão legalmente.

O que o comissário de bordo faz antes da decolagem

Uma hora antes do embarque, a equipe se apresenta para o trabalho em salas dos aeroportos chamadas de Departamento Operacional. Os membros da equipe são então orientados pelo comandante sobre o trecho a ser voado e cada um recebe sua tarefa.

A principal tarefa da profissão é zelar pela segurança dos passageiros e da tripulação durante todo o voo. Por isso, ao chegar ao avião, as primeiras tarefas são verificar a limpeza da aeronave, os equipamentos de segurança (data de validade, funcionamento e necessidade de troca) e o bar.  Depois de verificar que está tudo ok, o embarque é liberado. Dois comissários ficam a postos, com um sorriso no rosto, e recebem todos os passageiros.

O que os comissários fazem durante o voo

Antes da decolagem, os comissários ajudam os passageiros a se acomodarem e a guardar as bagagens adequadamente, além de dar assistência aos passageiros com necessidades especiais. Quando todos os passageiros já estão acomodados em seus devidos lugares, o comissário de bordo verifica se todos afivelaram o cinto, se os equipamentos eletrônicos estão em modo avião e as poltronas na vertical.

O comandante se apresenta, dá as boas-vindas a todos e passa algumas informações. Depois disso, o vídeo com os procedimentos de segurança é exibido e os  comissários de bordo fazem a demonstração.

Depois, um comissário de bordo dá o recado sonoro de boas-vindas aos passageiros.

Durante o voo, também é tarefa do comissário atender às solicitações dos passageiros e avisar sobre o início do serviço de bordo. Na Gol, por exemplo, as refeições são distribuídas por dois comissários.

Em caso de turbulência, os comissários são os responsáveis por orientar os passageiros a ficar calmos, permanecerem sentados e com o cinto afivelado. No caso também de um passageiro precisar de assistência médica, os comissários têm curso de primeiros socorros e, assim, podem prestar o atendimento primário até a chegada de um médico ou ambulância quando o avião pousar.

Salário e rotina do comissário de bordo

O salário de um comissário de voo é composto por duas partes: uma fixa e outra variável, de acordo com as horas voadas mensalmente. Segundo a Azul, em setembro de 2018, o salário médio inicial do comissário de bordo é de R$ 4.500,00. A Latam e a Gol pagam a média do mercado. Já a Avianca não revela os valores.

De acordo com a Lei 13.475/17, o comissário deve ter, pelo menos, 10 folgas por mês, sendo que, ao menos duas delas deverão conter um sábado e um domingo consecutivos. Além disso, o comissário só pode trabalhar até seis dias seguidos. A legislação também exige que a divulgação da escala de trabalho do próximo mês seja feita, no mínimo, cinco dias antes da virada do mês.

Após entender como é o dia a dia de um comissário de bordo, compartilhe o conteúdo nas redes sociais para que mais pessoas conheçam um pouco mais sobre a vida desse profissional.