Serrinha do Alambari: Conheça essa área de preservação!

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - Publicado em 8 de abril de 2021

A Serrinha do Alambari é uma área de proteção ambiental (APA) que fica em Resende, no Rio de Janeiro, na Região das Agulhas Negras. Com uma bela paisagem montanhosa e várias cachoeiras de águas cristalinas, a APA é um destino imperdível para quem ama estar em contato com a natureza, praticando o ecoturismo.

Se você está planejando a sua próxima viagem, que tal desvendar as maravilhas de Serrinha do Alambari? Embarque conosco!

Sobre a Serrinha do Alambari

Você é daqueles que acredita que o Rio de Janeiro é sinônimo apenas de belas praias? Então está na hora de rever essa ideia. O estado conta com verdadeiras joias da natureza, como é o caso de Serrinha do Alambari, que fica em Resende, mais precisamente entre Penedo e Visconde de Mauá.

A apenas 180 km da capital Rio de Janeiro e a 280 km de São Paulo, você poderá respirar ar puro, nadar em cachoeiras de águas cristalinas e fazer belas trilhas em meio a matas preservadas.

A área se tornou uma APA nos anos 1990, visando conter o desmatamento, que ameaçava a região desde 1970. Ela está situada próxima de outro parque, o Parque Nacional de Itatiaia, que fica a leste da região.

É na Serrinha que estão as nascentes dos rios Alambari, Santo Antônio e Piraptinga. Mas o principal atrativo fica por conta das cachoeiras, de águas azuis e geladas.

Como chegar à Serrinha do Alambari

A Serrinha do Alambari não é um destino de difícil acesso e fica relativamente perto tanto do Rio de Janeiro como de São Paulo.

Quem está partindo do Rio de Janeiro deve seguir pela Dutra sentido Visconde de Mauá. Passando o pórtico de Penedo, siga mais 4 km pela estrada para Mauá. Nessa estrada, você avistará uma entrada com indicação para Serrinha do Alambari.

A partir da entrada são mais 4 km de estrada de terra até chegar na pracinha principal. A viagem de carro dura cerca de 3 horas. Para quem parte de Penedo são apenas 20 minutos até o centro de Serrinha. Também há vários ônibus partindo de Resende e de Penedo para o destino.

Quais passeios fazer na região

Como dissemos, os principais atrativos de Serrinha do Alambari são as cachoeiras, então não as deixe de fora da sua programação. As principais são Poço do Céu e Poço do Dinossauro.

Na hora de organizar a sua viagem, fique de olho nos meses, tomando cuidado com aqueles que são mais chuvosos, como novembro, dezembro, janeiro, fevereiro e março. Com o excesso de chuvas, as trilhas ficam cheias de lama e há mais chances de tromba de água.

Então, os melhores meses para viajar para Serrinha são abril e outubro, quando há poucas chuvas, e as temperaturas médias ficam entre 17ºC a 30ºC.

Poço do Céu e Poço do Dinossauro

São as duas cachoeiras mais famosas do destino e ficam próximas uma da outra. Se a ideia for visitar as duas em um só dia, a dica é começar o passeio mais cedo, principalmente porque o espaço para estacionar não é muito grande (e as cachoeiras recebem muitos turistas).

Ambos os poços ficam em um terreno privado, então, a visitação é paga – R$35 por pessoa. O valor é usado na manutenção das trilhas e do espaço como um todo. Você notará que as trilhas são muito bem sinalizadas e não é preciso usar guia.

A primeira parada na trilha é o Poço do Céu – e você chega, com apenas 20 minutos de caminhada, em uma trilha de nível fácil. A queda de água termina em um poço em formato de coração, com água de um azul profundo. O poço tem duas quedas, uma maior, ótima para as fotos, e uma menor, perfeita para nadar.

Seguindo em frente pela trilha você irá até o Poço do Dinossauro. A distância é bem pequena, não chegando a 10 minutos de caminhada, porém o trajeto é um pouquinho mais complicado.

O esforço é recompensado com uma vista lindíssima e um espaço maior para nadar. E para os mais corajosos, é possível saltar do topo da queda até o poço.

Camping Clube Brasil

Um dos principais pontos turísticos da cidade é o Camping Clube Brasil — que também é uma das principais hospedagens. Se você não curte acampar, não tem problema, porque pode pagar pelo day use (a taxa é de R$10).

Dentro da propriedade, estão diversas trilhas e cachoeiras, como o Poço das Esmeraldas. O acesso é bem fácil, são apenas 15 minutos de caminhada bem sinalizada para chegar a um belo poço de águas cristalinas e esverdeadas (dando o nome do local).

Outras cachoeiras

moça tomando banho nas águas da cachoeira da serrinha do alambari

Embora essas sejam as mais famosas, Serrinha do Alambari abriga outras cachoeiras imperdíveis como: Bananal, Poço Dourado, Champagne e Poço da Sauna. As trilhas demoram de 20 a 30 minutos e podem ser feitas sem guia.

Onde ficar na Serrinha do Alambari

Serrinha do Alambari é simples e rústica, por isso, não dispõe de muitas opções de hospedagem. Não existem hostels, por exemplo, apenas pousadas e o Camping Clube Brasil, que acaba sendo a preferência da maioria dos turistas que desejam se hospedar na cidade.

O camping é uma alternativa bem interessante e organizada, com vários banheiros masculinos e femininos, com água quente, energia elétrica, calçamento, vendinha para aqueles itens básicos e de primeira necessidade e até um restaurante — além de estar pertinho de várias atrações bacanas como poços, trilhas etc.

Quem prefere opções mais diferenciadas e charmosas de hospedagem, pode ficar nas cidades próximas, como Penedo, que fica a 14 km de Serrinha, por meio de uma estrada de terra.

Lá, além de vários hotéis e pousadas, você também encontrará restaurantes, bares e lojas. E se você for em uma época mais fria, como no inverno, a dica é procurar uma hospedagem com lareira, porque o clima na serra é bem mais frio — o que pode dificultar um pouco para quem deseja acampar.

Depois de todas essas dicas, já ficou sonhando com a sua próxima viagem para Serrinha do Alambari? Se você curtiu este conteúdo, siga a Não Voei no Facebook e receba mais dicas bacanas como esta!