Ponte aérea: o que é e como funciona?

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - 2 de julho de 2018

A maioria das pessoas já deve ter ouvido, pelo menos uma vez, alguém mencionando o termo ponte aérea. Mas nem todos sabem o que esse termo significa e como ele funciona.

O que é uma ponte aérea e como ela funciona? Confira algumas curiosidades sobre o assunto e informe-se!

Ponte aérea: saiba tudo sobre o assunto

Atualmente, usamos a ponte aérea para indicar voos que ocorrem com frequência entre dois destinos. Um dos principais exemplos de ponte aérea é o trecho Rio-São Paulo.

Esse termo passou a ser usado na década de 60, quando muitas empresas estavam operando voos entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Apesar de, na época, ter aumentado a procura de voos para esse trecho, eles não eram regulares.

Havia momentos em que esses voos saíam quase que ao mesmo tempo. Como era necessária uma organização, a Varig, Vasp e Cruzeiro do Sul resolveram se unir e passaram a voar entre Rio e São Paulo com voos organizados com uma alternância de uma hora.

Agilidade no atendimento

Com o acordo, os bilhetes comprados em umas dessas três companhias podiam ser usados em qualquer uma delas. Um passageiro podia comprar uma passagem da Varig e viajar em um avião da Vasp. Isso agilizou muito o atendimento porque os passageiros não tiveram mais que esperar por horas por um voo daquela companhia na qual ele comprou a passagem.

O Electra da Varig foi o único tipo de avião a voar na ponte aérea Rio-São Paulo nas décadas de 70 e 80. Isso mudou na década de 90, quando uma companhia que não pertencia a esse acordo, a TAM, decidiu criar sua própria ponte aérea.

Com a chegada dessa concorrente, a Vasp saiu do acordo. Depois disso, a ponte em que você comprava a passagem em uma companhia e podia voar em outra acabou.

Passagens individuais

Cada companhia passou a vender apenas passagens para os seus próprios voos. No Brasil, a ponte aérea é o que ocorre entre os aeroportos de Santos Dumont e o Galeão no Rio de Janeiro, e de Guarulhos, Congonhas e Viracopos em São Paulo, cujos voos duram cerca de 50 minutos.

As pontes aéreas mais movimentadas do mundo

De acordo com um levantamento da OAG, publicado em 2018, os 10 voos domésticos com mais movimentação do mundo em 2017 foram:

  • 1º: 64.900 voos – Jeju-Seoul (Coreia do Sul). Com uma média de 178 voos por dia;
  • 2º: 54.500 voos – Melbourne-Sydney (Austrália);
  • 3º: 47.400 voos – Mumbai-Delhi (Índia);
  • 4º: 42.800 voos – Fukuoka-Tóquio (Japão);
  • 5º: 39.300 voos – Rio-São Paulo (Brasil). Com uma média de 107 voos por dia (entre o Santos Dumont/ RJ e Congonhas/ SP);
  • 6º: 38.300 voos – Sapporo-Tóquio (Japão);
  • 7º: 34.800 voos – Los Angeles-São Francisco (EUA);
  • 8º: 33.700 voos – Brisbane-Sydney (Austrália);
  • 9º: 31.900 voos – Cidade do Cabo-Johanesburgo (África do Sul);
  • 10º: 30.000 voos – Pequim-Xangai (China).

As pontes aéreas mais pontuais do mundo

Dados sobre a pontualidade das pontes aéreas do mundo no ano de 2017 também foram apresentados pelo levantamento da OAG. Na categoria Small, o aeroporto de Tenerife ficou em primeiro lugar. O de Porto Alegre apareceu em 20º.

Na categoria Medium, o aeroporto de Belo Horizonte ficou em quarto lugar. Em sexto vem o aeroporto de Santos Dumont, no Rio. O Aeroporto Viracopos, em Campinas, ficou em 12º lugar.

Na categoria Large, o aeroporto de Brasília está em quarto lugar. O Galeão, no Rio de Janeiro, vem em quinto. Em oitavo lugar aparece mais um aeroporto localizado no Brasil, o de Congonhas, em São Paulo.

Categorias segundo o número de passageiros por ano

  • Categoria  Small – até 5 milhões;
  • Categoria Medium – de cinco a 10 milhões;
  • Categoria Large – de 10 a 20 milhões.

Principais rotas entre dois municípios no Brasil

Segundo dados da pesquisa O Brasil que Voa, realizada em 2014 pela Secretaria de Aviação Civil, em parceria com a Empresa de Planejamento e Logística, as principais rotas entre dois municípios no Brasil são:

  • 1º –  4,2 milhões de voos, ponte aérea São Paulo-Rio de Janeiro;
  • 2º – 2,1 milhões de voos, Brasília-São Paulo;
  • 3º – 1,65 milhões de voos, São Paulo-Salvador;
  • 4º –  1,61 milhão de voos, Brasília-Rio de Janeiro;
  • 5º – 1,56 milhão de voos, Porto Alegre-São Paulo;
  • 6º – 1,52 milhão de voos, São Paulo-Belo Horizonte;
  • 7º – 1,36 milhão de voos, Curitiba-São Paulo;
  • 8º – 1,05 milhão de voos, São Paulo-Recife;
  • 9º – 1,01 milhão de voos, Florianópolis-São Paulo;
  • 10º – 1,007 milhão de voos, Rio de Janeiro-Belo Horizonte.

As pontes aéreas mais caras e as mais baratas

Em 2014, uma pesquisa do site Skyscanner mostrou quais são os países mais caros e os mais baratos para viajar de avião:

Mais caros

  • Na América do Sul o Brasil se destaca: R$ 0,53 por quilômetro;
  • Na Ásia é mais caro viajar na Indonésia: R$ 0,49 por quilômetro.

Mais baratos

  • Na Ásia, o país mais barato para voar é Hong Kong: R$ 0,22 por quilômetro;
  • Austrália: R$ 0,20 por quilômetro.

Minha ponte aérea foi cancelada ou atrasada! Quais são meus direitos?

Se seu voo de ponte aérea ou de qualquer outro trecho foi cancelado, saiba que você tem alguns direitos como passageiro e pode escolher o que é melhor pra você: receber o reembolso integral da passagem (inclusive o valor da tarifa de embarque) ou remarcar o voo para o dia e hora ideais.  Tudo isso sem custos!

As causas do cancelamento de um voo podem ser mau tempo, manutenção não programada da aeronave, ocupação da aeronave inferior a 30%, problemas com a tripulação ou falta de tripulação. Quando um voo é cancelado, a companhia deve, obrigatoriamente, avisar a todos os passageiros. Mas sabia que há casos em que isso não acontece?

Dica para evitar ser surpreendido pelo cancelamento do voo

Uma dica para evitar ser surpreendido pelo cancelamento de seu voo é ficar atento a todos os canais de comunicação da companhia aérea. Está certo que é obrigação da companhia comunicá-lo sobre as alterações em seu voo, mas é sempre melhor se prevenir.

Se você vai viajar para um compromisso de trabalho, por exemplo, ficar sabendo do cancelamento de um voo somente no momento em que você chegar ao aeroporto pode causar muitos transtornos. Inclusive, sua ausência no compromisso por não localizar um voo que chegará ao destino em tempo hábil.

Optar também por companhias aéreas com mais voos na rota desejada é uma boa maneira de prevenir ter um voo cancelado. Em casos de atraso de voo, a companhia deve auxiliá-lo em relação à alimentação, comunicação e acomodação.

  • Se seu voo está atrasado há mais de uma hora, a companhia deve lhe fornecer acesso à comunicação;
  • Se o atraso ultrapassar duas horas, a companhia tem que lhe fornecer alimentação;
  • Se o voo atrasar por mais de quatro horas, também devem ser fornecidas opções de acomodação, além de transporte do aeroporto para um hotel ou para sua casa (quando você reside na cidade onde o aeroporto está localizado) e de volta para o aeroporto;
  • Mas caso seu voo esteja com um atraso de mais de 4 horas ou haja preterição de embarque, é dever da companhia fornecer, além da assistência  à comunicação e alimentação, opções de reacomodação ou reembolso.

Não quer perder nenhuma atualização sobre viagens, voos  e seus direitos como passageiro? Curta nossa página no Facebook e fique por dentro!