Tudo que você precisa saber antes de viajar para o Deserto do Atacama

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - 28 de janeiro de 2020

Vai viajar para o Deserto do Atacama e ainda não sabe o que visitar, quando ir, o que levar e precisa de ajuda para organizar a viagem? Neste artigo vamos te dar todas as dicas necessárias para preparar sua viagem.

San Pedro de Atacama fica na região norte do Chile e se destaca por sua variedade de paisagens. Lá os visitantes encontram extensas dunas de areia, cavernas de sal, vulcões, lagoas, gêiseres, planícies salgadas e o Deserto de Atacama, conhecido como o lugar mais seco do mundo.

Como chegar ao Deserto do Atacama

A melhor maneira de chegar ao Deserto do Atacama, saindo do Brasil, é pegar um voo para Santiago e de lá pegar um voo de duas horas para Calama. De lá, basta pegar um transfer ou ônibus para chegar à cidade principal: San Pedro De Atacama.

Praticamente não há transporte público para as principais atrações da região. Portanto, a melhor maneira  de conhecer as principais atrações é participando de passeios organizados por empresas de turismo, que contam com guias turísticos experientes.

Quem já visitou o Deserto do Atacama não recomenda que os turistas dirijam nas estradas, pois são perigosas, com muitas curvas e cercadas por barrancos.

Passagens para o Deserto do Atacama

Ao comprar sua passagem aérea, escolha como destino o Aeroporto de Calama (Aeroporto Internacional El Loa). O aeroporto fica a 100 km de San Pedro de Atacama e o ponto de desembarque mais usado pelos turistas que querem explorar a região.

Documentação

Brasileiros não precisam de passaporte para entrar no Chile. Basta apresentar documento de identidade que contenha uma foto atual. Se o seu documento contém uma foto antiga será preciso tirar um novo documento antes de viajar. Isso, inclusive, também é cobrado pela Polícia Federal quando for feita uma solicitação de emissão de passaporte.

Ao viajar para o Chile também não é obrigatório apresentar o Certificado de Vacinação. No entanto, se na mesma viagem você for visitar países como Peru e Bolívia, é necessário tomar a vacina contra a febre amarela antes da viagem e a apresentar o Certificado Internacional de Vacinação emitido pela ANVISA.

Por que o Deserto do Atacama é tão visitado?

O Deserto do Atacama é o deserto não polar mais seco da Terra, estendendo-se por cerca de 1.000 km de terra entre a Cordilheira da Costa do Pacífico Sul e a Cordilheira dos Andes.

Por isso, a região recebe milhares de turistas atraídos por suas impressionantes formações geológicas, como veremos a seguir.

10 principais atrações no Deserto do Atacama

1. Gêiseres de Tatio

Os Gêiseres de Tatio são um campo geotérmico localizado na Cordilheira dos Andes. Suas fumarolas criam colunas brancas de vapor que alcançam 4.300 metros. Essa emissão vulcânica de gases e vapores é produzida pelas altas temperaturas de suas crateras aquosas e oferece um espetáculo à parte.

2. Vale da Lua

O Valle de la Luna é uma paisagem lunar formada por rochas e argilas erodidas que pertence à Reserva Nacional Los Flamencos. Existem outros três Vales de la Luna na América do Sul (Bolívia, Argentina e outro na Bolívia), mas todos parecem diferentes.

É uma depressão de 500 metros de diâmetro de solo salino onde as principais atrações são:

  • Duna Maior (Duna Major)

A duna gigante fica entre duas montanhas e recebe visitantes que escalam até seu topo para apreciar vistas deslumbrantes do pôr do sol no deserto.

  • Anfiteatro

As formações rochosas têm o formato de um anfiteatro. A partir de lá se tem a visão de todo o Vale da Lua.

  • Cavernas de Sal

Que tal se aventurar por cavernas onde é possível admirar cristais de sal brilhantes? Lá os visitantes podem até escutar o sal estalando enquanto a terra se move.

  • Três Marias

Localizada no meio de um platô de sal branco, as três formações rochosas têm formatos curiosos que se parecem com três mulheres rezando.

3. Laguna de Chaxa

É a segunda maior salina do mundo. Bem no coração das salinas está a Laguna de Chaxa, onde muitos flamingos cor de rosa passeiam livremente por seu habitat natural.

É um cenário perfeito para fotos, com seus reflexos semelhantes a espelhos, e a Cordilheira dos Andes como pano de fundo.

4. Lagunas Altiplânicas: Miñiques e Miscanti

As duas lagoas mais pitorescas do Chile, conhecidas como Lagunas Altiplânicas, ficam nas montanhas de Atacama. A Lagoa Miscanti fica sob o vulcão ativo de mesmo nome e possui água de cor turquesa. Já a Lagoa Miñiques tem águas de tonalidade azul e é um ótimo lugar para observar as vicunhas (animais semelhantes a lhamas).

5. San Pedro de Atacama

San Pedro de Atacama é uma cidade boêmia, com vários edifícios feitos de tijolos de barro brancos e marrons enchendo suas ruas.

A principal fonte de renda do município é o turismo. Por isso, a cidade conta com vários bares, restaurantes que cabem em todos os bolsos e muitas empresas de turismo.

Vale a pena visitar a Igreja de San Pedro de Atacama, a segunda mais antiga do Chile, construída no século XVII.

Quem já esteve por lá destacou o céu estrelado, a poucos minutos da cidade, como um dos mais bonitos de se observar, à noite.

6. Pukará de Quitor

Proclamada monumento nacional em 1982, a fortaleza de pedra localizada a 3 km da cidade de San Pedro de Atacama foi construída no século XII pelo povo atacameño (povo indígena local) para poder se defender da invasão da Espanha.

7. Vale do Arco-íris

Destino ideal no Deserto de Atacama para quem gosta de admirar formações rochosas coloridas, a visita ao vale deve ser feita antes do pôr do sol para chegar a tempo de observar o vale quando o sol se põe e colore as rochas.

8. Tulor

A Aldeia de Tulor foi escavada em 1982 e no local foi descoberta uma vila inteira datada de 300 a.C.  No local há um museu que possui uma réplica de um dos edifícios de barro originais.

9. Salar de Tara

Para visitar o local é preciso estar preparado para o passeio de maior altitude do Atacama (cerca de 4.000 metros).

O Salar é uma grande extensão de sal que proporciona uma vista de tirar o fôlego. Às vezes, algumas alpacas podem ser avistadas.

10. Observação de estrelas

O Deserto de Atacama também é famoso pelo seu céu estrelado. Os visitantes podem contratar um passeio astronômico, sair com um guia ou simplesmente observe as estrelas por conta própria. Telescópios e equipamentos fotográficos de guias turísticos locais estão disponíveis para aluguel.

Além disso, os turistas podem visitar o ALMA, um observatório com o radiotelescópio mais caro do mundo. As visitas acontecem diariamente e são gratuitos, mas só é possível conseguir participar fazendo reserva meses antes.

Como é o clima no Deserto do Atacama

Diferente dos desertos, que são descritos como lugares que recebem menos de 250 mm de chuva por ano, o Deserto do Atacama recebe menos de uma média de 1 mm de chuva ao ano. Isso explica porque ele é o deserto não polar mais seco do mundo.

A seguir, explicamos como é o clima no deserto de acordo com o período do ano:

  • Os meses mais quentes, em média, são janeiro, fevereiro e dezembro, sendo janeiro o que mais esquenta.
  • Os períodos secos ocorrem no mês de janeiro e de março a dezembro, sendo outubro o campeão.
  • O mês mais frio, em média, é julho.
  • O mês mais chuvoso é fevereiro.

Qual a melhor época do ano para viajar para o Deserto do Atacama?

A melhor época para visitar o Deserto do Atacama é durante os meses de abril, maio, agosto e setembro, quando o local apresenta um tempo melhor, com temperaturas médias agradáveis que variam entre 20º C e 25º C.

9 coisas que você precisa saber antes de ir para o Deserto do Atacama

1. Leve roupas apropriadas. Mesmo no verão, ao fazer passeios em altas altitudes, leve um casaco na bolsa, pois esses lugares ventam mais. Nos Gêiseres de Tatio, por exemplo, pode fazer 5º C no verão.

2. Pesquise bem os hotéis. Há várias opções de hospedagem (desde hostels ate hotéis de luxo).

3. Leve sempre garrafas de água na bolsa. Como o clima é seco, é preciso se hidratar frequentemente.

4. Comer em San Pedro de Atacama não é barato como em outras cidades do Chile. Como a cidade vive do turismo é preciso estar preparado para desembolsar um pouco mais do que se está acostumado.

5. Apesar de a contratação de um seguro viagem não ser obrigatória ao viajar para o Deserto do Atacama, é mais seguro contratá-lo. É sempre melhor viajar mais seguro para destinos de aventura.

6. Outros itens indispensáveis são óculos de sol, protetor solar e hidratante labial. Mesmo no inverno, o sol forte pode incomodar, e o clima seco faz com que a pele e os lábios fiquem ressecados.

7. No Atacama você pode trocar dinheiro (reais ou dólares) por pesos chilenos. As casas de câmbio geralmente ficam abertas até tarde.

8. No centro de San Pedro de Atacama há várias lojinhas de artesanatos, caixa eletrônico, farmácia, bares, restaurantes e mercadinhos para comprar água e lanches.

9. Como o Deserto do Atacama fica em uma região de alta altitude, recomenda-se que os visitantes passem, no mínimo, sete dias no local para se aclimatarem (processo de adaptação a novas condições climáticas, naturais, biológicas, entre outras, que modificam o modo de vida de pessoas e organismos vivos).

Entenda o que é a doença das alturas que atinge algumas pessoas em altas altitudes.

Sintomas do mal da montanha

O mal da montanha, também conhecido como hipobaropatia ou doença das alturas, pode atingir qualquer lugar que tenha elevações a partir de 2.400 metros. Geralmente, a maioria das pessoas não sofre desconforto nessa altitude.

A doença é uma condição patológica que tem relação com os efeitos da altitude nos humanos. É causada quando algumas pessoas passam por exposição aguda à baixa pressão parcial de oxigênio em altas altitudes.

O mal não acomete pessoas de um grupo específico, ou seja, não tem relação com idade,  sexo ou nível de condicionamento físico.

Os sintomas geralmente aparecem entre 6 e 10 horas após a subida e podem incluir os seguintes: cansaço, insônia, tontura, comichão, sangramento nasal, falta de ar, aceleração de pulso, sonolência e mãos e pés inchados.

Em casos muito extremos, o mal da montanha pode levar à confusão mental, desorientação e inconsciência.

Ao identificar os sintomas, uma das formas de amenizar o desconforto é abaixar a cabeça.

San Pedro de Atacama fica a mais ou menos 2.407 metros de altitude, por isso poucas pessoas podem sentir o efeito da altitude. O que pode causar o mal da montanha são os passeios pelo Deserto do Atacama.

Como prevenir o mal da altitude

Ao viajar para o Deserto do Atacama:

  • Não faça esforço físico;
  • Hidrate-se bastante;
  • Carregue bombinhas de oxigênio
  • Tome chá de coca;
  • Mastigue folha de coca;
  • Alimente-se bem;
  • Evite bebidas alcoólicas e cigarro.

Nossas dicas sobre o Deserto do Atacama foram úteis pra você? Então compartilhe o conteúdo com seus amigos!