Dicas para uma ótima viagem pela Cordilheira dos Andes

Redação Nãovoei.com
Redação Nãovoei.com - Publicado em 6 de abril de 2020 - Atualizado em 16 de abril de 2020

Planejando uma viagem pela Cordilheira dos Andes? A cadeia montanhosa é uma das grandes atrações da América do Sul e encanta por sua diversidade, recebendo turistas de todas as partes do mundo que gostam de se aventurar em grandes altitudes.

A cordilheira se estende por mais de 7.500 km – da Venezuela até a Patagônia – e possui uma incrível biodiversidade natural.

A Cordilheira dos Andes corta a América do Sul em dois, de norte a sul, atravessando sete países: Chile, Argentina, Colômbia, Bolívia, Equador, Peru e Venezuela.

  • Lado sul da Cordilheira: localizado no sul de Llullaillaco, consiste nas cordilheiras patagônicas, chilenas e fuegianas. Vão da Argentina ao Chile.
  • Centro da Cordilheira: cordilheiras peruanas. Localizada no Peru e Bolívia.
  • Lado norte dos Andes: abrangem as cordilheiras colombianas, caribenhas e equatorianas. Eles são encontrados em regiões como Venezuela, Equador e Colômbia.

A seguir, apresentamos algumas curiosidades sobre a Cordilheira dos Andes, melhor época para viajar, como chegar, o que visitar, quais os documentos necessários para embarcar e outras informações úteis para sua viagem.

Dados geográficos da Cordilheira dos Andes

A Cordilheira dos Andes é formada por vários planaltos assustadoramente altos, encimados por picos ainda mais altos, formando uma muralha contínua por longos 8.900 km – da ponta sul da América do Sul até a costa norte do continente no Caribe.

Os Andes contêm os picos mais altos do Hemisfério Ocidental, sendo o Monte Aconcágua, com 6.959 metros, o mais alto, localizado na fronteira da Argentina e do Chile.

A Cordilheira dos Andes é uma sucessão de cordilheiras paralelas e transversais, platôs e depressões intermediárias. Possui faixas no leste e oeste – chamadas respectivamente de Cordilheira Oriental e Cordilheira Ocidental.

As cordilheiras geralmente seguem a direção norte-sul, mas em alguns lugares a Cordilheira Oriental segue rumo ao leste, formando cordilheiras tipo península isoladas ou regiões de alto planalto intermontano, como o Altiplano, ocupando partes adjacentes da Argentina, Bolívia, Chile e Peru.

Clima

O clima é confortável e nublado. Ao longo do ano, a temperatura costuma variar entre 16 º C e 24º C, e raramente fica abaixo de 15º C ou acima de 26º C.

A temperatura fica mais alta para o norte, da Terra do Fogo ao Equador, mas vários fatores fazem com que existam várias condições climáticas ao longo da cadeia.

Há uma grande diferença climática entre as encostas externas (que ficam de frente para a bacia do Pacífico ou da Amazônia) e as encostas internas das cordilheiras; as encostas externas estão sob a influência da Bacia Amazônica ou do oceano.

A estação chuvosa dura cerca de 8,5 meses, de 27 de março a 12 de dezembro. A probabilidade máxima de um dia com precipitação é de 88% em 7 de novembro.

10 curiosidades sobre a Cordilheira dos Andes

1. A Cordilheira dos Andes surgiu há mais de 50 milhões de anos, quando foi criada pela colisão das placas tectônicas do Pacífico e da América do Sul.

2. A maior parte das cadeias de montanhas andinas é vulcânica.

3. Tomates e batatas tiveram origem nos Andes. No Peru, por exemplo, são cultivados mais de 3.800 tipos diferentes de batata.

4. A cordilheira abriga uma grande variedade de vida selvagem, com mais de 1.000 espécies diferentes de animais. São cerca de 400 espécies de peixes, 600 espécies de répteis, 600 espécies diferentes de mamíferos, mais de 1.700 tipos de pássaros, mais de 30.000 espécies de plantas endêmicas e mais de 1.000 anfíbios.

5. É onde se encontra o ponto mais distante do centro da Terra: o Pico de Chimborazo, a uma altura de 6.268 metros acima do nível do mar, nos Andes equatorianos. A distância do Centro da Terra ao pico é de 6.384 km, ou seja, 2 km mais alto que o Himalaia.

6. A Cordilheira dos Andes abriga planaltos que possuem grandes cidades: La Paz (Bolívia), Quito (Equador), Medellín (Colômbia), Sucre (Bolívia), Bogotá (Colômbia), Mérida (Venezuela) e Arequipa (Peru).

7. A região possui uma grande riqueza em minerais naturais: ferro, cobre, prata, estanho e ouro. Os principais minerais localizados em diferentes regiões são o chumbo, prata e zinco, na Bolívia e no Peru; o cobre no Peru e no Chile; estanho e bismuto na Bolívia; ferro e carvão no Peru, Colômbia e Chile. Além disso, são encontrados depósitos de petróleo nos Andes, especialmente no lado oriental.

8. As regiões de planalto dos Andes são usadas principalmente como pastagens. A Colômbia, por exemplo, cria gado para exportação e o Peru investiu na produção de leite. Cabras, lhamas, alpacas e ovelhas são os animais criados na região.

9. Possui cerca de 30.000 espécies de plantas.

10. Possui numerosas ilhas, como Curaçao, Aruba e Bonaire, encontradas no Mar do Caribe, perto da costa da Venezuela. As ilhas estão localizadas no extremo norte da cordilheira submersa da Cordilheira dos Andes.

Como chegar à Cordilheira dos Andes

Avião

Ao comprar passagens aéreas, selecione voos de desembarque em países como Argentina, Chile ou o Peru. Quem viaja para o Chile ou Peru, sobrevoa a Cordilheira dos Andes e tem a oportunidade de admirar a paisagem do avião.

Carro

Quem desembarca em Santiago, no Chile, pode ir para os Andes de carro.

Basta seguir a Ruta 57 e depois a Ruta 60. Após cruzar a fronteira entre Chile e Argentina, é só seguir pela RN 7 na Argentina.

O percurso total tem cerca de 350 km.

Documentos

Brasileiros não precisam de passaporte para visitar os países por onde a cordilheira se estende. Por isso, é necessário apresentar somente um documento de identificação (RG).

Além disso, é necessário verificar os países que exigem a comprovação da vacinação contra a febre amarela através da apresentação do Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia, que pode ser emitido online.

Hospedagem

A seguir, listamos algumas opções de hospedagem mais próximas à Cordilheira dos Andes, desde locais mais simples a mais luxuosos: Cascada de las Animas, SelLodge, Spa Pirque, Hotel Casa Origen, Master Suites, Hostel La Casona del Agua e o Hostel Refugio Abuela Quillay.

9 atrações para conhecer na Cordilheira dos Andes

1. Parque Nacional Lauca

O parque fica localizado no norte do Chile e se destaca por suas impressionantes paisagens; pelo Chungará, um dos lagos mais altos do mundo, a uma altitude de 4.520 metros; e pela presença de vulcões a 6.000 metros acima do nível do mar.

Reserva da Biosfera da UNESCO, o parque contém uma diversidade de flora e fauna nativas, além de ser habitado pelo povo Aymaras e seus restos arqueológicos.

2. San Pedro de Atacama

A pequena cidade combina arquitetura tradicional, com influências coloniais dos povos indígenas andinos, que desenvolveram estruturas de barro, pedra e palha.

Ao passear pela cidade, os turistas verão salinas, gêiseres, vulcões, fontes termais e lagoas andinas, que contrastam com as paisagens desérticas da região.

3. Vale do Elqui

Localizado na região de Coquimbo e no sopé da Cordilheira dos Andes, o Vale do Elqui é uma opção para quem gosta de locais ligados à espiritualidade. O local está sendo, inclusive, considerado por muitos visitantes como o novo Tibete.

Além do aspecto espiritual, o vale tem outras opções para os turistas, como sítios arqueológicos, astroturismo, vinhedos e a cidade de Vicunha, onde nasceu o poeta chileno Gabriela Mistral.

4. Vulcão Ojos del Salado

O Vulcão Ojos del Salado é um dos destaques dos Andes. Ele é o vulcão mais alto do mundo, com aproximadamente 7.000 metros acima do nível do mar.

5. Parque Farellones

A menos de duas horas de carro de Santiago, o parque é um dos grandes centros de esqui do Chile. Geralmente, as principais delegações olímpicas do mundo escolhem Farellones, Vale Nevado, La Parva e Colorado como local de treinamento, portanto é um local ideal para quem curte esporte de inverno.

A melhor época para visitar o parque é entre junho e outubro.

6. Sewell

A 150 km de Santiago e construída no meio das montanhas andinas, Sewell é uma cidade mineira abandonada. Patrimônio Mundial, a cidade tem um grande valor histórico e cultural para o mundo.

Ao visitar a cidade, os turistas poderão passar por edifícios e escadas que foram pensados para serem construídos nas montanhas.

7. Parque Nacional Torres del Paine

Conhecido como a oitava Maravilha do Mundo, o Parque Nacional de Torres del Paine é uma área selvagem que abriga pumas, guanacos e emas vivendo cercados por florestas, rios e geleiras.

8. Carretera Austral

Uma das mais lindas rotas do mundo, a Rota CH 7, ou Carretera Austral, fica na parte mais baixa dos Andes. Ela liga Puerto Montt a Villa O’Higgins e cruza a Região Sul e a Região Austral do Chile. Ao longo de seus 1.240 km, a estrada é rodeada por rios, geleriras, fiordes, montanhas, lagos e florestas.

Alguns pontos para visitar: Parque Pumalín, Reserva Nacional Queula, Reserva Nacional Cerro Castillo, Rio Baker, Rio Futaleufú e cidades pitorescas como Villa O’Higgins e Caleta Tortel.

9. Quilotoa Loop

O Quilotoa Loop é uma rede de trilhas que conectam várias aldeias indígenas Kichwa aos Andes equatorianos. A trilha passa por vales onde cavalos e lhamas são avistados, terminando na Lagoa de Quilotoa, localizada na caldeira de um vulcão extinto.

Melhor época para visitar a Cordilheira dos Andes

Tendo como base a pontuação do turismo, as melhores épocas do ano para visitar os Andes e aproveitar o clima quente são entre a metade de junho até o final de agosto e da segunda quinzena de dezembro ao meio de março.

É sempre importante se planejar para ter uma viagem prazerosa e sem imprevistos. Por isso, procure o máximo de informações sobre o destino para viajar preparado. Assine nossa newsletter e receba dicas interessantes para programar suas próximas viagens!